domingo, 30 de abril de 2017

5 dos objetos mais misteriosos e inexplicáveis já descobertos na história


Ao longo dos séculos, o ser humano tem se mostrado cada vez mais curioso e dedicado a desvendar os milhares de segredos que rondam nosso mundo e nossa história. E isso, aliás, tem sido presenciado a todo momento, especialmente devido a objetos antigos, descobertos em escavações, que denunciam o modo de vida e outros detalhes sobre épocas passadas.

Acontece, no entanto, que muitos desses artigos – encontrados há bastante tempo – não puderam ser interpretados até hoje e intrigam a comunidade científica. São estátuas, manuscritos e outras coisas que os historiadores até hoje não conseguiram explicar e que, por isso mesmo, costumam estar cercadas de teorias e histórias sinistras. 

Confira, na lista abaixo, alguns dos objetos mais misteriosos já descobertos até hoje:

1. A lista de reis sumerianos


Encontrada em sítios arqueológicos do Iraque, a lista de reis sumerianos, como o nome indica, reúne nomes de supostos monarcas que governaram esse povo em uma época muito distante… muito mais distante que você pode imaginar.
Conforme estudiosos, garantem que essa tábua histórica, escrita em vocabulário cuneiforme, conte com pelo menos 4 mil anos! Mas não é só sua idade que chama atenção. Há uma passagem, em seu texto, que relata partes de um suposto dilúvio que teria varrido a Terra, bem parecido com o descrito na Bíblia cristã, em Gênesis.
Os monarcas dos sumerianos que vieram antes desse evento devastador, aliás, são chamados de “antediluvianos”. Estão nessa categoria dinastias como a de Isin, cerca de 1763 a.C e 1753 a.C. Esse fator, claro, já deu nó na cabeça de muita gente, contradizendo, inclusive, a história de que tudo que está contado na Bíblia é uma parábola…
Será mesmo que o dilúvio aconteceu?

2. “Rongorongo” – a misteriosa escrita da Ilha de Páscoa


A Ilha de Páscoa, que se encontra em território chileno, guarda inúmeros segredos e tesouros arqueológicos, como as famosas esculturas Moais. Acontece, no entanto, que os glifos de animais e símbolos antropomórficos (com imagens humanas) são um mistério ainda maior para os cientistas.
Isso porque esses símbolos, quando juntos, forma a escrita “rongorongo”, que quer dizer “recitar, declarar ou cantar”; e fazia parte da língua Rapanui. Aliás, o contrário do que possa parecer, esses símbolos nasceram já no século 18 (o que para a história não é muito tempo assim) e entraram em completo desuso somente dois séculos depois.
Acontece que os estudiosos do assunto, até hoje, não conseguiram decifrar as mensagens escritas em rongorongo, presente em pelo menos 26 objetos de madeira, encontrados na Ilha. O mais impressionante para os pesquisadores, no entanto, é que os símbolos que remetem às figuras humanas não têm nada a ver com algum objeto da realidade.

3. Codex Gigas, a Bíblia do Diabo


Ao longo dos séculos a história sempre esteve cheia de registros que comprovam o temor que o ser humano tem do chamado “sobrenatural”. Há cultos e cerimônias em todas as partes do mundo para louvar e agradecer as bençãos dadas pelo Ser Supremo, que recebe nomes variados, mas que no final acaba sendo um só.
No entanto, não é só o Bem a parte temida dessa história. Pelo sim, pelo não, muitas tradições incluem em suas celebrações referências e até o culto do Mal, para que ele seja conhecido pelas pessoas e para que, ao ser lembrado, não haja de maneira vil sobre a comunidade.
Uma das histórias mais curiosas sobre essa crença é a chamada “herdeiro das trevas” que trata sobre a criação da Bíblia do Diabo. Dizem que o livro data do século 13 e foi feito na região onde hoje é a República Tcheca. Aliás, a parte mais chocante sobre essa lenda (não dá para falar se foi verdade ou não frente aos fatos mirabolantes que você vai conhecer já, já) é que a tal bíblia foi confeccionada por um monge, em pagamento de um pacto com satã!
O livro, aliás, é todo revestido com pele humana e tem uma figura gigantesca do demônio em suas páginas. 

4. Dodecaedro romano


Esse, com certeza, é um dos objetos mais controversos do mundo. Isso porque, ao decorrer dos anos, pesquisadores de todas as partes não conseguiram chegar ao um consenso sobre a função desse artigo, que já foi muito encontrado em sítios arqueológicos da França, da Suécia e de outras partes mais antigas da Europa.
Há quem diga, por exemplo, que o dodecaedro se trate de um instrumento de guerra, de um castiçal, de um brinquedo antigo, um medidor do tempo – já que não existia o relógio – ou mesmo de um símbolo religioso. As especulações, como você pôde ver, são inúmeras e a única coisa que os estudiosos conseguiram definir sobre eles é que, invariavelmente, esses objetos são ocos, possuem 12 faces (como sugere a forma geométrica) e têm entre 4 e 12 centímetros de diâmetro. Eles também são encontrados em pedra ou bronze.

5. Homem lagarto sumério


Encontradas no sítio arqueológico de Ubaid, um dos mais famosos do Iraque, essas estatuetas são uma verdadeira “mina de ouro” para os pesquisadores da região. Assim como a Lista dos Reis Sumérios, comentada no início, estudiosos acreditam que esses objetos tenham, pelo menos 4 mil anos!
O mais “engraçado” desses artigos é que eles representam uma série de lagartos humanoides. Muitas teorias por aí juram que essas esculturas representam o famosos reptilianos, que supostamente costumam vagar por aqui em algum momento da história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário