segunda-feira, 14 de novembro de 2011

The Beatles e seus Mistérios

Pouco sabemos dos mistérios e brincadeiras do mundo artístico, assim como quando nos damos de cara com eles, não sabemos como reagir, ou em que acreditar, foi o que ocorreu em meados dos anos 60 com a banda The Beatles, quando foi anunciado por uma radio de Detroit o maior e mais duradouro boato da história da música.
Surgiram boatos que Paul McCartney teria sofrido um acidente de carro em 1966, causando sua morte devido ao esmagamento do crânio, sendo substituído na banda por um sósia, ganhador de um concurso para substituí-lo, chamado William Campbell.O que de fato ocorreu foi que o Beatle sofreu um acidente de moto, porém, houve apenas um dente quebrado e um corte no lábio inferior, que deixou uma cicatriz, aumentando mais ainda os boatos.
Vários artigos de revistas, livros e noticiários falavam sobre a suposta morte de Paul McCartney e os integrantes da banda, vendo que o boato havia tomado rumos estratosféricos, a própria banda direcionou seu marketing para o acidente, colocando pistas principalmente em capas de CD’s, desde o disco Rubber Soul, passando por Revolver, Sgt.Pepper’s Lonely Hearts Club Band, Magical Mistery Tour, White Album,Yellow Submarine e Abbey Road. Os mais enfáticos foram Sgt. Pepper’s eAbbey Road.


Já na capa do Abbey Road, eles aparecem encenando um cortejo fúnebre: John Lennon vestido de branco, é o pregador, Ringo de luto, é o amigo do defunto. George Harrison, vestido com roupa informal: é o coveiro. Paul é o único dos quatro que está descalço e caminha com os olhos fechados e em muitas culturas orientais, os defuntos são enterrados descalços, além do que Paul era canhoto e nessa capa aparece segurando um cigarro com a mão direita. Há também um carro preto fúnebre estacionado ao lado direito da foto e um carro branco do outro lado onde tem na placa “28 IF” que seria 28 SE, Paul teria 28 anos se estivesse vivo.
Toda a história foi bem contada e rendeu muito sucesso aos Beatles, já que devido à curiosidade mais e mais pessoas se interessavam em escutar as músicas para procurar algo suspeito e sempre gostavam. O caso terminou quando o boato gerou tanto barulho, que em 1969 o próprio Paul McCartney convocou uma coletiva de imprensa pra negar toda a historia e provar que estava vivo. Até hoje foi um dos boatos mais geniais e artisticamente explorado, que rendeu muita fama aos Beatles.


Sgt. Pepper não só se destacou por sua música, mas pelo conceito e pela capa feita com uma fotografia de Michael Cooper com os quatro Beatles vestidos como sargentos diante de uma colagem feita por Peter Blake com vários rostos de pessoas célebres, entre os quais Marilyn Monroe, Marlon Brando, Bob Dylan,Cassius Clay, D.H. Lawrence, Aleister Crowley e até Shirley Temple. Também apareceriam Karl Marx, Gandhi, Hitler e Jesus Cristo, mas estes foram deixados de fora. Jesus Cristo não foi incluído por causa da declaração um ano antes de John dizendo que os Beatles eram mais populares que Jesus Cristo, Gandhi foi retirado por receio da gravadora em ofender o mercado indiano. Para evitar processos a gravadora pediu autorização às personalidades. O ator Leo Gorcey teve sua imagem retirada por pedir um pagamento pelo uso da sua imagem. O rosto do ator mexicano Germán Valdés "Tin Tan" aparecia na capa, mas ele se não autorizou sua exibição na última hora, enviando em seu lugar uma árvore da vida de Metepec (planta tradicional mexicana) que aparece em canto da fotografia. EM 2007, o jornal britânico The Independent On Sunday afirma que o ditador nazista Adolf Hitler estaria escondido na capa, aparecendo em parte entre o baterista Ringo Starr e o atleta e ator Johnny Weissmuller
Muitos acreditam que a capa contém uma mensagem oculta sobre a suposta morte de Paul McCartney, já que na parte inferior deles parece haver uma tumba adornada com flores e um contrabaixo (também feito de flores) e com três cordas apenas, o que significaría que faltava um Beatle.

Foi o primeiro disco que se vendeu com as letras das canções impressas.

 O fato mais impressionante de nossas pesquisas são as mensagens subliminares onde John Lennon revela a morte de Paul Mcartney. O incentivo subliminar ao consumo de drogas, ocultismo, violência e necrofilia é encontrado no trabalho da banda mais famosa do planeta. Seguidores de Aliester Crowley (satanista conhecido como "A Besta") os "garotos de Liverpol" não tinham nada de ingênuos e estavam envolvidos com ideologias extremamente suspeitas para artistas que supostamente defendiam a "paz e o amor". 
A seguir veja as insersões subliminares nas músicas e capas dos discos dos Beatles e conheça as mensagens sobre a morte de Paul Mcartney. 

Subliminar nas Músicas dos Beatles
"Lucy in the Sky with Diamonds"- A aparentemente estranha : "Lucy in the Sky with Diamonds"(tradução:Lucy no céu com diamantes), na verdade, tinha nas iniciais do próprio título a mensagem subliminar "LSD". O objetivo era difundir a marca  "L.S.D." droga lisérgica muito usada nos anos sessenta, um similar do ácido.
* "Sem Lenço Sem Documento" de Caetano Veloso rebate os Beatles usando a subliminar : - Sem L S D .

"Revolution 9"- A música"Revolution 9"(tradução: revolução 9) do 'Álbum Branco' entre os sons de sirenes, gemidos de crianças, grunhidos de porcos e metralhadoras, ouve-se:"- number nine" que ao contrário('backward masking') fala "Turn me on DEAD man" (tradução: Excite-me homem morto). É decepcionante saber que os Beatles incentivavam aberrações como a necrofilia de uma forma tão covarde e estúpida.
"Hey Jude" - A música "Hey Jude" (tradução:'Hey viciado') fala: '...Lembre-se de deixá-la entrar debaixo de sua pele, e então começara a sentir-se melhor' a mensagem subliminar é simples e cruel: deixar entrar as "agulhas das seringas com drogas injetáveis" debaixo da pele e sentir-se melhor.
A Morte de Paul Mcartney
Paul Mcartney morreu em 1966 em um acidente de carro. Os "Beatles" eram fundamentais para a nazificação do mundo, graças a eles todos os jovens usavam o mesmo corte de cabelo, a mesma roupa, e tinham as mesmas idéias... Eram os novos mitos da cultura POP dos anos sessenta e funcionavam perfeitamente para os fins aos quais foram destinados. O acidente de Paul foi ocultado pela gravadora Capitol que convocou um sósia, o também inglês Willian Campbell. John Lennon não aceitou a farsa e por isso espalhou mensagens subliminares com a afirmação de que Paul Mcartney estaria morto. Se a lenda "Paul is Dead" foi implantada para esclarecer a verdade ou é mais um mórbido ato de marketing  dos "garotos ingleses" ainda não sabemos mas, diante de tanta farsa na história do século xx, não seria de se espantar se o verdadeiro Paul Mcartney estivesse realmente morto.
Veja a seguir as mensagens subliminares que insinuam a suposta morte de Paul Mcartney. 



Na capa do "Abbey Road" - 1969 :  O Funeral - Os 4 Beatles, andando em fila, simbolizam a procissão de um enterro. John , de branco, seria o padre; Ringo, de preto, o agente funerário; Paul é o morto, e Harrisson seria o coveiro.  O Carro na Rua - Um carro parece vir em direção a Paul. Ou, como os ingleses dirigem na mão esquerda, parece que o carro já atingiu Paul e segue em frente O Carro de Polícia - Um carro de polícia, entre John e Ringo, esta parado. Parece estar atendendo a alguma ocorrência,  como um acidente de trânsito.


O cigarro na mão direita de Paul. Ele era canhoto. Erro do sósia? Pés descalços - Paul é o único beatle de pés descalços. Há um costume de ingleses ser enterrado de pés descalços. Detalhe: seus olhos também estão fechados. 


A Chapa do Carro - A chapa de um fusca que aparece à esquerda traz a inscrição LMW 28IF. O LMW poderia significar a  abreviação de "Linda McCartney Weeps" (Linda McCartney Chora) ou "Linda McCartney Widow" (Linda McCartney Viúva). O 28IF seria "28 years IF alive", o mesmo que 28 anos SE vivo, se referindo à idade de Paul à época do disco, se não tivesse morrido. Paul, na verdade, tinha 27. Mas, era o dito, em religiões indígenas a idade de uma pessoa é contada a partir da gestação. Então ela já tem 9 meses quando nasce. Logo, Paul teria 28 anos, na época. 


Os Furos na Parede - Observe os furos na parede antes da palavra "Beatles". Agora ligando os furos, notamos que forma-se a frase "3 Beatles". 


 Na capa do "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" - 1967 - Esta capa está recheada de mensagens subliminares. Na verdade, todo o conjunto de elementos desta capa estão retratando uma espécie de funeral. Observe o esquife (caixão) coberto de flores vermelhas. 


Abaixo dele há um arranjo de flores amarelas, com a forma de um contra baixo, de canhoto, que seria de Paul   O Contra-baixo de Canhoto - O contra-baixo colocado nesta capa, composto de flôres amarelas é na verdade um instrumento próprio para canhotos. 


O Local do Enterro - Observe que no final da palavra "Beatles" está a letra "o" (composta por flores vermelhas), formando assim a frase "Be at Leso", nome do suposto local onde estariaenterrado Paul. 

O Tambor - "He Die"

Se colocarmos um espelho no meio da palavra "HEARTS", que está escrita no bumbo, aparece "HE DIE", algo parecido com "ele morre" 


A foto de Aliester Crowley (guru satanista- conhecido como "A Besta") inserida na capa de "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band"

Declarações de Paulo Coelho sobre esta capa em "As Valkirias"-pag.127) sobre esta capa: "...E as pessoas sempre respeitam mais aquele que diz coisas que ninguém entende. Do resto - Hare Krishna, Meninos de Deus, Igreja de Satã, Maharishi -, do resto todo mundo participava. A Besta - a Besta só para os eleitos ! "A lei do forte", dizia um texto dela. A Besta estava na capa do Sargent Pepper's, um dos mais conhecidos discos dos Beatles - e quase ninguém sabia. Talvez nem os Beatles soubessem o que estavam fazendo quando colocaram aquela fotografia lá." 

Nenhum comentário:

Postar um comentário