domingo, 30 de julho de 2017

DISCOGRAFIA LANA DEL REY


Elizabeth Woolridge Grant, mais conhecida por Lana Del Rey, nasceu no dia 21 de junho de 1985 em Nova York nos EUA. A carreira musical da cantora e compositora e modelo teve início em 2005, quando ela gravou, mas não lançou, o álbum "Sirens", quando ela usava o pseudônimo May Jailer. Foi só em 2011, quando o vídeo de "Video Games" se tornou viral, que ela finalmente começou a conhecer o sucesso.
Lana ganhou ainda mais atenção após lançar o álbum, "Born to Die", de 2012, que ficou em segundo lugar nas paradas e foi o quinto álbum mais bem vendido daquele ano com cerca de 3 milhões e 400 mil cópias comercializadas (nesse momento, ele já superou os 5 milhões). Ela também se destacou na parada de singles americana, com o remix de "Summertime Sadness", produzido por Cedric Gervais, que chegou no sexto lugar do top 100 da Billboard.
O EP "Paradise (2012), garantiu à cantora sua primeira indicação ao Grammy (como melhor álbum pop vocal - ela perdeu para "Unurthodox Jukebox" de Bruno Mars). Três musicas deste EP, também fizeram parte do seu curta "Tropico", lançado em dezembro de 2013. 
No ano seguinte, Del Rey lançou "Ultraviolence". O segundo álbum de estúdio pós sucesso recebeu criticas positivas e teve boa recepção comercial, sendo o primeiro de sua carreira a chegar ao número 1 nos Estados Unidos. 
Após a tour norte americana, que teve shows de abertura de Courtney Love e Grimes, em 2015, Lana lançou "Honeymoon", que também foi bem recebido tanto comercialmente quanto por parte da crítica especializada. Este também foi o quarto disco mais vendido na sua primeira semana por um artista feminina daquele ano e fez dela a cantora mais popular nas plataformas de streaming musical de 2015. 
A música de Lana Del Rey é marcada por um estilo que pode ser descrito como cinematográfico. A tragédia romântica e a melancolia, estão entre seus temos favoritos, assim como as referências à cultura pop, principalmente aquelas das décadas de 1950 e 1960 na América.

YOUNG LIKE ME/QUIET NOW


Young Like Me com o título alternativo Rock Me Stable , Às vezes chamado Quiet Now é um EP inédito por Lana Del Rey . Foi criado em 2005 e foi registrado no catálogo de direitos autorais dos EUA em 25 de abril de 2005. É descrito como um CD e contém demos gravadas por Del Rey em torno do mesmo tempo que a escrita de Sirens. Listados-se que o CD contém sete músicas que vazaram junto com o conteúdo From The End em 29 de janeiro de 2014, sob o título não oficial Quiet Now.



FROM THE END


From the End é um álbum / EP inédito de Lana Del Rey . Foi criado em 2005 e foi registrado no catálogo de direitos autorais dos EUA em 13 de dezembro de 2005. É descrito como um CD e contém demos gravadas por Del Rey em torno do mesmo tempo que a escrita de Sirens e inclui faixas do álbum, como “Out With a Bang“e “Bad Disease“. O CD vazou ao lado o conteúdo do Young Like Me em 29 de Janeiro de 2014.


SIRENS


Sirens é um inédito álbum demo pela cantora e compositora americana Lana Del Rey , sob o pseudônimo de May Jailer. Foi gravado em 2005. O álbum inteiro foi divulgada através do YouTube em Maio de 2012. 
O álbum vazou em maio de 2012, depois de muita especulação para o seu conteúdo por fãs meses antes. O álbum recebeu críticas positivas de críticos de música, mas recebeu críticas polarizadas de muitos fãs. Certas canções foram retirados dos EPs anteriores, Young Like Me e From the End.
Depois de aprender quatro acordes em violão, Del Rey assumiu o desafio de escrever tantas músicas com esses acordes quanto possível. O álbum foi o resultado de sua experimentação. Quase todas as músicas do álbum caem no mesmo intervalo, e muitas estão na mesma chave. Cada faixa é composta apenas de vocais e guitarra acústica de Del Rey, e muitas vezes se concentram em melodias arpejadas. O produtor do álbum permanece desconhecido.

KILL KILL


Kill Kill foi o primeiro EP digital de Lana Del Rey . Foi lançado em 21 de outubro de 2008, em EUA através da 5 Points Records sob o seu, em seguida, nome artístico de Lizzy Grant . As três músicas do EP viria a ser incluída em seu primeiro álbum de estúdio, Lana Del Ray , em 2010.

Single

“Kill Kill” (Faixa-título) foi apenas o único single do EP. Um videoclipe acompanhou a pista e foi publicado em 2008, mas a música nunca recebeu um lançamento individual, físico ou de rádio.


LANA DEL RAY AKA LIZZY GRANT


Lana Del Ray (às vezes chamado Lana Del Ray AKA Lizzy Grant , Nevada ou AKA entre outros) é o primeiro álbum de estúdio de Lana Del Rey. O álbum foi lançado digitalmente via iTunes Stores por 5 Points Records em 04 de janeiro de 2010 , sob o nome de Lana Del Ray.
Apesar de ser conhecida e promovida como Lizzy Grant antes do lançamento do álbum, Del Rey tornou-se insistente ela queria ir sob o nome de palco Lana Del Ray, levando o primeiro álbum a ser lançado como tal.”AKA Lizzy Grant” foi adicionado na capa do álbum para conectá-la com seu nome anterior. David Nichtern, que assinou-a a 5 Points Records , explicou que “a razão pela qual nós fizemos isso [o título do álbum] é porque as pessoas sabiam quem ela era e estávamos tentando cruzar-la”.
A liberação do álbum era digital, disponível de iTunes e de Amazon para ao redor $ 9.99 ou $ 0.99 para cada trilha. Devido à falta de financiamento para o álbum, no entanto, ele acabou sendo retirado das lojas online. De acordo com Kahne, Del Rey comprou os direitos de volta de seu rótulo como ela queria fora de circulação. Nichtern declarou: “Ela e seu novo produtor entraram e disseram:” Queremos tirar isso do mercado, vamos comprar um negócio completamente novo. Então fizemos um acordo de separação. ” Nenhum singles foi lançado do álbum, embora muitos home-made vídeos para músicas foram vazados.
Del Rey já declarou anteriormente o desejo de re-lançar o álbum, mas em de Maio de 2012 , ela anunciou que não havia nada planejado. Se o álbum fosse re-lançado, Nichtern explicou que “ainda temos uma séria participação na receita se ela fizer alguma coisa com [o álbum]”
A ordem tracklist foi diferente em 2008, começando com ” Para K, Pt. 2 ” e terminando com ” Mermaid Motel “.


LANA DEL REY


Lana Del Rey é o primeiro EP com uma grande gravadora, e segundo EP, que nunca foi lançado oficialmente por Lana Del Rey . Foi lançado em 20 de janeiro de 2012. O EP tem quatro faixas, tudo a partir de seu então novo álbum, Born to Die .

Após ter sido lançado somente no Canadá e Estados Unidos, Lana Del Rey conseguiu desempenhar-se na décima oitava no Canadian Albums Chart na edição de 21 de janeiro de 2012. Nos Estados Unidos, seu desempenho expandiu por quatro paradas. Na principal Billboard 200, o extended play alcançou a vigésima posição, enquanto no periódico digital obteve a sétima posição.Nas tabelas destinadas aos álbuns de rock e música alternativa, respectivamente, Rock Albuns e Alternative Albums, posicionou-se na sexta colocação.


BORN TO DIE 


Born to Die é o segundo álbum de estúdio de Lana Del Rey. O seu lançamento ocorreu em 27 de janeiro de 2012 na Alemanha e na Irlanda e no dia 31 do mesmo mês nos Estados Unidos, através das editoras discográficas Interscope, Polydor e Stranger Records.
Oficializando-se como o responsável por inserir Del Rey no cenário musical internacional, Born to Die foi concebido ao longo de 2010 e 2011, após a cantora fechar o contrato com uma grande editora, e teve as suas gravações concluídas depois que o seu primeiro single, “Video Games”, tornou-se um êxito viral na Internet, o que causou um burburinho entre os meios de comunicação em relação à, até então, desconhecida cantora.
Comercialmente, contudo, Born to Die mostrou ser bem recebido universalmente. Culminou os mercados musicais de catorze países e debutou na segunda posição da Billboard 200, dos Estados Unidos, enquanto que alcançou o terceiro posto no Canadá. Mas foi no continente europeu onde ele obteve seu maior êxito, tendo sido certificado com platina em dezesseis nações e atingido a primeira posição nas tabelas musicais de países como a Áustria, a Alemanha, a França e a Suíça em sua semana de estreia. No Reino Unido, o material repetiu o feito com vendas iniciais de 117 mil cópias, tornando-se o mais rapidamente comprado de 2012. Além disso, Born to Die também atingiu o topo na Austrália e ficou entre os dez primeiros colados em outras treze nações. O álbum chegou ao fim de 2012 com mais de 4.4 milhões de cópias distribuídas pelo mundo e foi o quinto mais vendido do ano. Até 2014, o disco havia vendido mais de sete milhões de cópias em todo o globo.
Born to Die possui doze faixas em sua edição padrão e quinze na sua edição deluxe. Uma reedição especial do disco foi lançada mundialmente em novembro de 2012. Esta versão contém, além das faixas da edição original, as três canções da versão deluxe e um CD bônus com outras oito escritas por Del Rey. Simultaneamente, foi lançado o (EP) Paradise, que contém apenas as oito faixas da reedição do álbum, inclusive os singles “Blue Velvet”, “Ride” e “Burning Desire”, este último disponível apenas como bônus do EP na iTunes Store.[30][180] Algumas das canções da reedição do CD, nomeadamente “Body Electric”, “Gods & Monsters” e “Bel Air”, foram, posteriormente, compiladas em um EP single intitulado Tropico e também foram utilizadas no curta-metragem homônimo, ambos lançados em dezembro de 2013.


PARADISE


Paradise é o terceiro (EP) de Lana Del Rey. Inicialmente previsto para ser comercializado apenas como uma reedição do segundo álbum de estúdio da artista, Born to Die (2012), o material acabou por ser editado de forma independente e enviado às lojas simultaneamente àquela em 9 de novembro de 2012 na Austrália e no dia 13 do mesmo mês nos Estados Unidos, através das gravadoras Interscope e Polydor Records. Composto pelas faixas que fazem parte da reedição, o disco reflete-se ao amor e aos lados positivo e negativo da fama experimentados, por Del Rey em meio à repercussão que causara na indústria da música entre 2011 e 2012.
O seu single inicial, “Blue Velvet”, um cover do grupo The Clovers, de 1954, atingiu um desempenho fraco. O segundo, “Ride”, porém, foi aclamado pela crítica e obteve um sucesso moderado nas tabelas musicais de países como a Suíça, a Irlanda e a França. “Burning Desire” foi extraída como a última música de trabalho do EP, estando inclusa somente em sua edição da iTunes Store. Para ajudar a divulgação do material, a cantora lançou Tropico, um curta-metragem estreado pela própria e dirigido por Anthony Mandler, que apresenta as canções “Body Electric”, “Gods & Monsters” e “Bel Air”, e posteriormente um EP single homônimo, que reúne aquelas canções e ainda a própria gravação.


ULTRAVIOLENCE


Ultraviolence é o terceiro álbum de estúdio de Lana Del Rey. O seu lançamento ocorreu em 13 de junho de 2014, através das gravadoras Interscope e Polydor Records. Apesar de ter cogitado a possibilidade de não gravar um novo CD pouco após o lançamento de seu segundo disco de originais, Born to Die, em 2012, Del Rey começou a escrever músicas para Ultraviolence no ano de 2013, ao lado de seu ex-namorado Barrie O’Neill. A cantora prosseguiu com a produção do disco em inícios de 2014, ano em que conheceu Dan Auerbach, vocalista do The Black Keys, com o qual iniciou uma relação de trabalho que resultou na renovação do material que a cantora julgava ter concluído. Embora tenha contado com o auxílio de Greg Kurstin, Rick Nowels, entre outros, Auerbach foi responsável pela maior parte da produção musical de suas canções, que derivam em sua maior parte de estilos desert rock, rock psicodélico e soft rock, mas também apresentam influências do rock independente, presente em Born to Die, e de jazz fusion, e possuem o trabalho de instrumentos musicais variados, como guitarra elétrica, violão de doze cordas, bateria e mellotron.
Considerado um dos álbuns mais esperados de 2014. Ultraviolence ficou disponível nos formatos de CD e download digital em duas edições, uma padrão e outra deluxe, trazendo três faixas bônus nesta última. Foi inicialmente distribuído em 13 de junho de 2014 na Alemanha, na Áustria e na Suíça pela Universal Music, seguido de um lançamento no Reino Unido três dias depois pela Polydor Records. Nos Estados Unidos, no Canadá e na Espanha, foi lançado pela Interscope no dia 17 do mesmo mês, sendo enviado às lojas no Japão somente um dia mais tarde.
Ultraviolence possui onze faixas em sua edição padrão e catorze na sua edição deluxe.Na loja on-line iTunes Store, esta última contém uma faixa bônus intitulada “Is This Happiness”,sendo que no Japão a versão deluxe da iTunes contém ainda a faixa “Flipside” como bônus.Também foi disponibilizado no formato box set, que contém um CD com as faixas do alinhamento oficial e as versão deluxe, dois discos de vinil e uma caixa especial com o título do álbum impresso em papel alumínio preto, além de quatro fotos de arte doze por doze.


HONEYMOON


Honeymoon é o quarto álbum de estúdio de Lana Del Rey. O seu lançamento ocorreu em 18 de setembro de 2015 sob a distribuição da gravadora Universal Music e afiliadas. As canções do CD começaram a ser concebidas em meados de 2014, pouco após a liberação do terceiro disco de originais da artista, Ultraviolence. Inicialmente, a cantora pretendia lançar uma reedição de seu último trabalho, mas editou-o como um novo disco depois de escrever grande parte do material até ao início de 2015. Neste trabalho, a musicista possui maior participação em seu processo criativo, produzindo-o inteiramente com o auxílio de Kieron Menzies e Rick Nowels. Honeymoon foi gravado nos estúdios Electric Lady Studios, em Nova Iorque, e The Green Building, na Califórnia, entre dezembro de 2014 e os meses inciais de 2015. 
Considerado um dos mais aguardados de 2015, o disco foi recebido com análises predominantemente positivas pelos críticos musicais, que elogiaram o seu conteúdo musical eclético e enfatizaram a sua natureza lírica por exibir um artista “natural” e “autêntico”, e descreveram-no como o melhor da carreira de Del Rey.
Comercialmente, obteve resultados positivos, mas extremamente inferiores aos lançamentos anteriores da cantora em razão da ausência de divulgação nos meios de comunicação para além das mídias sociais. Apesar de estrear em primeiro lugar nas tabelas musicais da Irlanda e Austrália, por exemplo, tornou-se o primeiro disco da artista a não registrar o feito em territórios britânico e escocês. Nos Estados Unidos, estreou na vice-liderança da Billboard 200, com mais de 116 mil unidades distribuídas, estabelecendo a segunda melhor semana de vendas de Del Rey em território americano, e conquistou a liderança da Alternative Albums. Também conquistou uma colocação entre os dez mais bem-sucedidos em várias outras nações em sua primeira semana de vendas e comercializou, até ao início de 2016, mais de seiscentos mil exemplares em âmbito global.
Apesar de não se ter apresentado em programas televisivos nem ter realizado uma excursão promocional para o disco nas semanas que precederam o seu lançamento, a artista promoveu-o com o lançamento de alguns singles: o primeiro deles, “High by the Beach”, foi lançado em 10 de agosto e recebeu aclamação dos críticos musicais. Comercialmente, no entanto, não obteve o mesmo reconhecimento. Posteriormente, foram disponibilizados como singles promocionais as faixas homônima e “Terrence Loves You”, ambos bem-recebidos pelos críticos contemporâneos, mas verdadeiros fracassos comerciais. “Music to Watch Boys to” foi lançado como o segundo single do disco no dia 11 de setembro e, embora elogiado pelos especialistas, não obteve êxito comercial. “Freak”, a terceira faixa de trabalho, foi lançada em 9 de fevereiro de 2016 e teve o mesmo desfecho de seus antecessores. Ao longo segundo semestre de 2016, Del Rey realizou uma excursão por festivais nos continentes europeu e americano. Até à data, o seu último concerto foi realizado em novembro.
Todas as canções foram escritas por Del Rey e Rick Nowels, sendo que “High by the Beach” contou com o auxílio de Kieron Menzies. As outras exceções são “Don’t Let Me Be Misunderstood”, composta por Bennie Benjamin, Gloria Caldwell e Sol Marcus e originalmente interpretada por Nina Simone, em 1964; e “Burnt Norton”, que trata-se de um poema escrito por T. S. Eliot. A produção de todas as faixas ficou responsável por Del Rey, Nowels e Menzies.


Nenhum comentário:

Postar um comentário