domingo, 9 de abril de 2017

Monte Rushmore


Monte Rushmore


O Monte Rushmore, em inglês Mount Rushmore, localiza-se no condado de Keystone, no Estado de Dakota do Sul, nos Estados Unidos. É o principal ponto turístico daquele Estado, e uma das maiores figuras do patriotismo e nacionalismo norte-americanos. Entretanto, alguns autores e pesquisadores afirmam que o Monte Rushmore esconde mensagens subliminares muito maiores do que poderíamos supor.


Sobre o monumento...

É um monte onde estão esculpidos os rostos de quatro importantes presidentes da história dos Estados Unidos, em ordem: George Washington, Thomas Jefferson, Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln. Ideia do pintor e escultor Gutzon Borglum, inicialmente, era para ser feito apenas um busto, mas houve muita indecisão em relação a qual deveria ser construído, uma vez que seria demonstrar superioridade de um sobre os demais outros. Após a decisão do primeiro busto a ser construído (o de George Washington, primeiro presidente do país), foram montados os primeiros andaimes em 1927. Demorou 15 anos para a obra ser terminada.
Os gigantescos rostos, de 15 a 21 metros de altura, de George Washington, Thomas Jefferson, Abraham Lincoln e Theodore Roosevelt foram construídos com modernos instrumentos de engenharia, dinamite e martelos pneumáticos a 150 metros de altura, na região de Black Hills. Borglum morreu pouco tempo antes de completar o seu trabalho. Terminada por seu filho, a obra foi finalmente inaugurada em 1941.
As gigantescas esculturas, com mais de 18 metros de altura cada uma, foram feitas com o uso de muita dinamite. O curioso é que o monte Rushmore – no estado americano de Dakota do Sul – poderia ter recebido outras faces. Em 1923, o historiador Doane Robinson, da Sociedade Histórica de Dakota do Sul, teve a idéia de esculpir, no monte, a figura de várias personalidades do velho-oeste americano, como Búfalo Bill.
O escultor Gutzon Borglum – ex-aluno do grande escultor francês Auguste Rodin (1840 – 1917) – gostou do projeto mas propôs que a homenagem fosse feita a ex-presidentes do país, com o intuito de atrair a atenção e o apoio dos sempre patrióticos americanos. O conselho foi aceito e a construção das imensas faces de George Washington (presidente de 1789 a 1797), Thomas Jefferson (1801 a 1809), Abraham Lincoln (1861 a 1865) e Theodore Roosevelt (1901 a 1909) – quatro dos ex-presidentes mais importantes e conhecidos até então – começou em 1927. O granito do monte Rushmore está entre as pedras mais duras do mundo. Por isso, 90% das rochas, cerca de 450 mil toneladas, foram retiradas com dinamite.
O resto teve que ser talhado com cunhas de aço, cujas marcas foram removidas depois com pequenos revólveres de ar. As esculturas demoraram 14 anos para ficar prontas e, apesar da perigosa rotina de trabalho, nenhum operário morreu. O cenário do monte Rushmore foi imortalizado no filme Intriga Internacional, dirigido por Alfred Hitchcock em 1959. O diretor não teve autorização para fazer a seqüência final no monumento e construiu parte do cenário em estúdio. Hitchcock queria filmar uma perseguição no nariz de Lincoln, mas os responsáveis pelo parque onde ficam as esculturas consideraram que a situação seria embaraçosa para a reputação do monumento…


Sobre o artista criador...




John Gutzon de la Mothe Borglum nasceu nos Estados Unidos em 1867 e morreu em 1941. Ficou conhecido por ter criado os enormes bustos dos quatro presidentes norte-americanos no monumento do Monte Rushmore. Estudou Educação Artística nos Estados Unidos e fez uma extensão em Paris. Em 1916 começou a talhar a Stone Mountain, no Estado da Geórgia, um gigantesco baixo-relevo comemorativo da Confederação, até que desavenças com as autoridades pararam a obra.
Trabalhou no monumento do Monte Rushmore de 1927 até à sua morte em 1941. Os rostos, que se encontram a uma altura de 152 metros, medem de 15 a 21 metros de diâmetro, o que não impede que sejam dotados de grande realismo na sua expressão e detalhe. Depois da sua morte, o seu filho Lincoln terminou o projeto.


Um dos detalhes mais controversos é que Borglum era um artista extremamente elitista e aristocrático. Era contra a ideia de abolição dos escravos e, quando adulto, passou a ser um disseminador de algumas ideias, como: antissemitismo, racismo contra negros, xenofobia, preconceito contra indígenas e era membro da Ku Klux Klan, grupo secreto que atuou nos Estados Unidos e teve destaque pela violência contra minorias.

Sobre as controvérsias de Rushmore...




O Monte Rushmore nasceu em meio a controvérsias da época em que foi construído. Primeiramente a partir do seu idealizador, um artista que, como dito acima, tinha problemas de aceitação dos negros, judeus e índios, além de atuar ativamente na KKK. Outros pontos envolvendo a polêmica do monumento são:


- Em 1876, a área onde está localizado o monumento foi desapropriada dos indígenas da tribo Lakota, da família dos sioux, passando esta a ser da União Federal. Com isso, os índios, donos verdadeiros daquela reserva, foram expulsos a balas pelo exército norte-americano;

- Historiadores apontam que, nas entrelinhas, o Monte Rushmore é um monumento à supremacia branca sobre as demais minorias. Seria, assim, o monte, uma lembrança aos índios de que a terra dos Estados Unidos foi uma conquista da supremacia dos brancos sobre os nativos. Assim, os quatro presidentes olhariam para a população numa perspectiva de “semideuses”;

- Em 2004, alguns historiadores soltaram a possibilidade de haver uma “cápsula do tempo” entre os rochedos restantes das explosões para formação dos rostos. Essa tal “cápsula” conteria teorias de Borglum sobre o futuro que ele gostaria para os Estados Unidos: sem negros, sem judeus, com segregação e até mesmo o retorno da escravidão ao mundo ocidental;

- Historiadores apontam que durante o momento da construção dos bustos, grupos pró-nativos queriam que, na realidade, os rostos conjugassem a mistura da formação dos Estados Unidos: um europeu, um negro e um índio, parecida com a teoria da mistura brasileira, criada por Gilberto Freyre no Brasil. Entretanto, a “supremacia branca” teria vencido;

- Uma das maiores controvérsias diz respeito ao chamado “Destino manifesto”, que é uma teoria historiográfica bastante controversa por si própria, onde diz-se que “o destino do branco é ‘civilizar’ o restante do planeta”. Foi assim que a Europa devastou culturas em todo planeta, e foi assim que os norte-americanos anexaram várias terras de outros povos e agrupamentos indígenas. Inclusive os quatro presidentes eternizados no monumento acreditavam no “Destino manifesto” e anexaram várias reservas indígenas ao território estadunidense;

- Desde 2012, grupos pró-nativos dos Estados Unidos alegam que o Governo Federal deveria indenizar os herdeiros dos índios Lakota pela expulsão daquelas terras e matanças indiscriminadas. A peleja está na Justiça e, muito provavelmente, jamais será decidida, sendo engavetada.





Resultado de imagem para Monte Rushmore

Resultado de imagem para Monte Rushmore


Nenhum comentário:

Postar um comentário