terça-feira, 13 de setembro de 2016

15 MISTÉRIOS QUE RODEIAM PELO MUNDO

Todo lugar do mundo tem sua cultura e suas crenças particulares. Da mesma forma, cada parte desse planeta guarda também suas crendices e lendas que a Ciência nunca conseguiu explicar. Essas histórias mal contadas, como sabemos, intrigam muita gente e são capazes de fazer a imaginação das pessoas fluírem e buscarem respostas em fenômenos sobrenaturais ou mesmo em manifestações de seres extraterrestres.
Conheça agora 15 desses mistérios mais cabulosos do mundo, que estão espalhados por aí a anos ou mesmo séculos, esperando por uma explicação lógica:

1. Brasil: Chupa-cabra


Em áreas agrícolas de São Paulo, Paraná e Minas Gerais existia um ser que atacava cabras e se alimenta de sangue. Os incidentes ganharam força em meados dos anos 1990, com “aparições” registradas em países como Porto Rico, Bolívia e Argentina. Mas, aos poucos, a lenda perdeu força. Os cadáveres analisados por especialistas indicavam morte causada por humanos e, como no caso da mutilação do gado nos Estados Unidos, por predadores naturais.


2. Austrália: Círculos em Plantações


Em 2009 gigantescos círculos surgiram em plantações do mundo mais, se ficaram mais concentrados na Austrália e na Inglaterra. Cerca de 80% das manifestações são farsas, feitas por gente que brinca com a crença de que o fenômeno é uma espécie de pichação alienígena. Mas o grande problema mesmo são os outros 20% que desafiam explicações científicas.
Isso porque nesses círculos não há indícios de rastros ou de como foram feitas as imagens. Além disso, a simetria dos desenhos e a ausência de plantas danificadas nos arredores são outras pistas importantes. O terceiro grande mistério é o comportamento anormal que instrumentos como bússolas registram nesses locais.


3. Chile: Ilha de Páscoa


Nesse lugar existem 887 bustos feitos de rocha vulcânica, de diversos tamanhos, espalhados pelos 170 quilômetros quadrados da ilha chilena. Estima-se que o mais pesado tenha 82 toneladas e o mais alto, 10 metros.
Os moais, nome dado aos monólitos, foram construídos aproximadamente em 1300 a.C. Por muito tempo, foram atribuídos aspectos sobrenaturais aos monumentos. Mas, cientistas desfiam todas essas teorias.
Conforme os estudiosos do assunto, existem meios de transportar as enormes cabeças usando madeiras e cordas. A técnica definitiva, no entanto, era tão engenhosa que ainda permanece desconhecida. Além disso, não existe nada que comprove a conversa de que o formato das cabeças dos monumentos seja uma homenagem a alienígenas, como contam por aí.


4. França: Chuva de rãs


Se alguns dia você passar pela pequena Brignoles, cidade no sudeste da França, não esqueça de levar um guarda-chuvas. Nesse lugar, no dia 23 de setembro de 1973, dez mil sapos despencaram do céu sobre a cabeça das pessoas. De acordo com quem entende, uma explicação válida para esse fenômeno é que as trombas d’água, tornados e furacões seriam capazes de arrastar pequenos seres por grandes distâncias. Ao perderem força, soltam a carga.


5. França: Santa Bernadete


Em Nevers, na França, mais precisamente no convento de Saint Gildard, há anos está o corpo da santa Bernadete Soubirous. E o mais impressionante de tudo: permanece intacto. E olha que ela morreu há 130 anos, em 1879, quando tinha 35.
Dizem que isso é possível, cientificamente falando, devido a uma mistura de fatores, como as condições especiais do lugar, a presença de agentes no ar capazes de preservar um cadáver, além influências ambientais, que podem manter um corpo incorrupto; além da suspeita de um embalsamento segredo. Mas, para a Igreja Católica o fenômeno é mais simples de explicar: trata-se de um milagre.


6. Escócia: O Monstro do Lago Ness


Essa lenda, como você deve saber, fala sobre um monstro que vive nas profundezas do lago escocês. Essa conversa já existe há mais de 150 anos. O caso, claro, divide opiniões e há realmente quem acredite na existência da tal criatura. Inúmeras pesquisas já foram feitas nesse lago e, até agora, nada ficou comprovado. Nem ossadas estranhas ou gigantescas foram encontradas submersas.


7. Estados Unidos: Os Roanoke


Imagine uma história em que mais de 100 pessoas somem de uma só vez, juntamente com seus pertencer! Pois é, na ilha de Roanoke, nos Estados Unidos, já boatos assim, que juram que 113 colonos ingleses simplesmente evaporaram do planeta com suas coisas pessoais. Não há uma explicação para o fenômeno, mas dizem que isso aconteceu por volta de 1590.
As teorias que tentar dar sentido ao acontecimento falam sobre abdução alienígena, até um massacre promovido por índios. Mas pesquisadores têm uma hipótese menos drástica: os Roanoke podem ter se mudado para a ilha vizinha e acabaram misturados às pessoas do local. Mas, de qualquer forma, o motivo pelo qual abandonaram a terra onde viviam nunca foi desvendado.


8. Portugal: Mary Celeste


O aconteceu com o navio chamado Mary Celeste nunca foi explicado. Isso porque ele foi encontrado à deriva, sem sinal da tripulação, mas com toda a carga e o equipamento intactos. Mas, apesar do mistério, historiadores apostam em uma hipótese simples: a tripulação teria abandonado a embarcação por algum motivo.
O que se sabe é que o Mary Celeste partiu no dia 5 de novembro de 1872 de Nova York rumo a Gênova, na Itália. Em 5 de dezembro, o cargueiro foi descoberto vazio e vagando sem rumo na região de Açores, no litoral de Portugal. Os viajantes nunca foram encontrados.


9. Peru: Linhas de Nazca


Imagens aéreas do deserto peruano de Nazca mostram impressionantes e gigantescas linhas em suas terras, que formam mais de 300 desenhos de animais e figuras geométricas. As figuras são tão grandes e demarcadas que há registros de que já foram avistadas do espaço.
Especialistas dizem que as figuras começaram a ser feitas por volta de 500 a.C. Elas serviriam para marcar estações do ano ou como parte de um rito religioso. Mas há outras teorias, que passam por sinais do pouso de naves espaciais até guias para orientar a construção de estradas… mas o que intriga eram os instrumentos rudimentares que existiam na época.


10. Inglaterra: Paul está morto


Em Londres, um dos mistérios mais comentados há anos é a suposta morte do “original” Paul McCartney. A edição de agosto da revista Wired italiana levantou novamente a teoria de que o criador de “Yesterday” teria morrido em 1966, num acidente de carro. A publicação convocou peritos que analisaram fotos atuais do baixista e outras anteriores ao ano fatídico e cravaram: existem indícios de que Paul não é Paul (a mandíbula, por exemplo, não bate entre o Paul 2009 e o Paul 1966). Vai saber!


11. Alasca: Elvis está vivo


Outro astro da música que nunca saiu de pauta foi o Rei do Rock, Elvis Presley. Apesar de sua morte ter sido noticiada em 1977, há quem diga que o cantor não morreu e que hoje em dia vive recluso no Alasca, aos 74 anos de idade, mais ou menos. Quem jura que já o viu naquelas terras geladas acredita que o cantor teria armado sua morte por overdose para se livrar de problemas financeiros e do “peso da carreira”.


12. Estados Unidos: O Naufrágio do Titanic


Se você acha que a história do Titanic é inédita, saiba que um escritor americano já havia “previsto” a tragédia anos antes, em 1898, com romance sobre uma embarcação chamada Titan. O Titanic mesmo só iria naufragar em 1912. A impressionante série de coincidências entre o livro do americano e o naufrágio acontecido 14 anos depois é capaz de encabular até os mais cético.
Isso porque, na obra, Titan inicia sua viagem em abril, partindo de Nova York. O Titanic partiu de Nova York no mesmo mês. Além isso, o transatlântico da ficção foi danificado por um iceberg no boreste (lado direito no navio, na parte de trás), mesmo local em que o bloco de gelo atingiu o navio da vida real. Os proprietários das duas embarcações eram empresários ingleses radicados em Liverpool e os desastres são quase os mesmos: a uma centena de quilômetros da costa americana.


13. Inglaterra: Stonehenge


Um círculo de formações rochosas que podem pesar até 60 toneladas e que teriam sido transportadas por distâncias superiores a 300 quilômetros. Tudo isso realizado por um povo que viveu entre 2950 e 1600 a.C. Essa é, basicamente, a situação das pedras de Stonehenge, na Inglaterra.
Apesar de os cientistas acreditaram que essas rochas tenha sido transportadas com instrumentos rudimentares, assim como os monumentos da Ilha de Páscoa, o que desafia os pesquisadores é a finalidade da construção. Não se sabe se esse seria um instrumento astronômico, um cemitério ou um templo.


14. Rússia: A explosão de Tunguska


A Sibéria, na Rússia, presenciou certa vez uma explosão de 50 megatons (ou o mesmo que 50 milhões de toneladas de TNT). O evento teria acontecido às 7h da manhã, do dia 30 de junho de 1908. O fato é que a cratera resultante do impacto só foi descoberta em 1930, por um grupo de exploradores que vasculhava o gelado deserto russo.
Várias teorias sem fundamentos tentam explicar o acontecido. No entanto, os cientistas acham que a melhor explicação teria sido a queda de um meteorito, que teria se desintegrado antes de atingir o solo, mas, ainda assim, liberou força suficiente para gerar o impacto.


15. Iraque: A Bateria de Bagdá


A cidade de Salman Pak, a 24 quilômetros ao sul de Bagdá, já abrigou a vila de Khujut Rabu, onde o arqueólogo alemão Wilhelm König descobriu, em 1936, um vaso de barro super antigo. Dentro do dessa peça, havia um cilindro e, por sua vez, em seu interior, havia uma vareta de ferro.
Os componentes juntos, com uma pitada de qualquer coisa alcalina (uva, por exemplo), são capazes de emitir descargas elétricas. A descoberta dessa bateria – criada em 250 a.C. e com uma tecnologia muito à frente da época – é um dos pontos que sustentam mais uma das teses de que extraterrestres já visitavam a Terra há mais de 40 mil anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário